Jornalista Belga abre o jogo sobre ataques a BOLSONARO e confirma que é tudo verdade.

Eu seu blog no medialpart o jornalista e cineasta Jawad Rhalib confirma a veracidade das informações e diz que tem a obrigação de preservar a fonte, que nesse caso é o nome de quem gravou a jornalista de O Estado de São Paulo

Tradução do texto postado pelo jornalista repudiando acusações de que foi uma reportagem falsa. Lembrando que ele colocou os áudios a disposição do púbico. em https://blogs.mediapart.fr

” Constança Rezende, como muitos jornalistas infelizmente, estão hoje a serviço de empresas de “difusão” da informação, cujo leitor, o telespectador é um produto simples, vendido aos anunciantes em busca de clientes. “Tempo do cérebro humano disponível”, nas palavras formulados em 2004 por Patrick Le Lay, então CEO da TF1 que estava vendendo, ele disse, a Coca-Cola “tempo cérebro humano.”

Nestes últimos dois dias, aproveitei para ler as reações um do outro. Muita informação falsa sobre o assunto, muitas fantasias. Eu nunca mencionei os nomes das pessoas que colaboraram comigo. Isso é chamado de “proteção de fonte”, de todas as pessoas que contribuem diretamente para a coleta, escrita, produção ou disseminação de informações, através de um meio, para o benefício do público.

Meu blog não envolve a responsabilidade editorial e legal da Mediapart, que me oferece um espaço de informação, debates, trocas e discussões, respeitoso da liberdade de expressão. A Mediapart disse no Twitter que a informação publicada em seu site era falsa, eu os convido a perguntar, a cavar como costumam fazer, antes de fazer tal julgamento, questionar nossa investigação e nossa integridade. Como eles podem alegar que minhas informações ou fontes são falsas quando não têm informações? Eles têm o direito de expressar sua solidariedade para com o jornalista em questão, mas não de questionar meu profissionalismo ou o da minha equipe. Isto acontece porque o artigo é, neste caso, favorecendo o Bolsonaro…

Alguns meios de comunicação brasileiros me acusam de publicar informações falsas, convido-os a perguntar com os interessados. Pessoalmente, eu apenas informei o público. Eu sou tão livre quanto Constança Rezende para publicar minha investigação com base em fatos reais e verificados, bem como em evidências físicas, como gravações de áudio. Eu não esperava esse aumento da mídia na twittosfera, mas isso prova que, todos os dias, o público forma opiniões, opiniões, pontos de vista, preconceitos, sobre seus parentes, vizinhos, sobre produtos vendidos. no supermercado, na política, na ecologia, religiões … no que lhe diz respeito de perto ou de longe. Em suma, podemos dizer facilmente que os jornalistas estão em toda parte à nossa volta. “

links  – https://www.sociedademilitar.com.br/wp/2019/03/urgente-ha-um-plano-para-derrubar-jair-bolsonaro-diz-washington-times.html

Terça Livre – https://www.tercalivre.com.br/urgente-jawad-rhalib-que-denunciou-constanca-se-manifesta-e-reafirma-a-veracidade-de-sua-materia/

https://blogs.mediapart.fr/jawad-rhalib/blog/120319/soyons-clairs

observatório da Rede

Compartilhe

O antagonista faz a mesma coisa que acusa Bolsonaro e Terça-livre de fazerem

Notem como o ANTAGONISTA para atrair a atenção e levar pessoas até o site  – utilizando frase isolada – tenta associar a MORTE de MARIELLE à queima de ARQUIVO. Implicitamente está dizendo “Marielle pode ter morrido por que sabia muito… ”.

A frase do policial foi usada pelo O Antagonista totalmente fora de contexto. Delegado se referia ao tiro que atingiu um dos acusados.

O antagonista faz a mesma coisa que acusa Bolsonaro e Terça-livre de fazerem – utilizar frases isoladas para “sensacionalizar” a coisa.

Compartilhe

Ameaçada de MORTE, Tiburi fugiu para a frança / Ninguém fugiu ainda para Cuba…

“A direita no BRASIL é realmente perigosíssima e tem provocado um verdadeiro êxodo”, isso é o que alega parte da esquerda que tem condições financeiras para se estabelecer em paraísos capitalistas, como Nova York e Paris.

Depois de Jean Wyllys quem foi agora foi a ex-candidata do PT ao governo do RIO, a professora Márcia Tiburi.

Eu amo o meu país, nunca pensei em sair do Brasil na minha vida, é muito triste e difícil ter que sair do meu país por não me sentir segura e não poder fazer mais o meu trabalho.” diz a filosofa.

Tiburi está nos EUA a convite de uma universidade e depois deve se estabelecer em PARIS junto de seu marido, que é juiz no RIO e pediu uma licença de 2 anos.

Ninguém fugiu ainda para Cuba, Venezuela ou Coreia do Norte

Observatório da Rede

Compartilhe

Querem derrubar o MITO. Mentiras e corporativismo covarde contra BOLSONARO

Até o ANTAGONISTA aderiu ao corporativismo sujo para atacar JAIR BOLSONARO e o site Terça-Livre. O tal terça- livre irrita primeiramente porque não tem em seus “quadros” nenhum jornalista que trabalhou na grande mídia e foi construído artesanalmente por um grupo de pessoas que acreditava que a verdade precisava ser revelada.

Observatório da Rede não conhece ninguém do terça-livre e muito menos J.Bolsonaro. Mas, não podemos deixar de observar e comentar o que está acontecendo.

1 – Jornalista e cineasta francês – bastante conhecido – JAWAD RHALIB decide pesquisar partidarismo da imprensa brasileira.

2 – Pede a assessor para entrar em contacto com jornalista de o Estado de São Paulo

3 – Jornalista brasileira dá depoimento por telefone, o depoimento é gravado.

4 – JAWAD RHALIB posta críticas no BLOG, diz que imprensa brasileira e jornalista usa de termos duos para se referir às ações da mídia brasileira

“… A conversa registrada entre minha “aluna” e Constança Rezende, do Estado de São Paulo, revela que a real motivação por trás da cobertura negativa da mídia é a de “arruinar” o presidente Jair Bolsonaro e provocar sua demissão. Este estudo de caso de como a mídia brasileira partidária lida com as notícias revela que elas não estão interessadas nos fatos reais, mas simplesmente usam histórias negativas, muitas vezes inventadas, sobre a família do Presidente Bolsonaro, que por sua vez eleito democraticamente.”

5 – O Jornal Washington Times, que tem tiragem de 100 mil exemplares diários, publica nota dizendo que a imprensa “progressista” brasileira faz no BRASIL a mesma coisa que faz contra TRUMP nos Estados Unidos.

“não deveria ser uma surpresa para ninguém as profundidades que os ‘progressistas’ irão em qualquer país para atacar líderes que ameaçam seu poder. Conservadores estão lutando contra a mídia, sistemas de educação, agências governamentais e o crime organizado.” Diz o jornal norte americano Washington Times…”

6 – No Brasil site Sociedade Militar publica nota com base no texto do Washington Times

7 – No Brasil site Terça-livre publica nota com base no texto de Jawab Rhalib no portal MEdiapart

8 – Antagonista ataca terça-livre dizendo que postagem é FAKE e que site de RHALIB é pequeno. Antagonsta não ataca Revista Sociedade Militar porque site militar usou texto do Whashington Times.

9 –  Estado de São Paulo disse que a gravação realmente existiu mas discorda de tradução do terça-livre.

10 – Medialpart diz que postagem é fake e ao mesmo tempo diz que não se responsabiliza pelo que esta escrito nos blogs. Mas se não se responsabiliza como pode afirmar que é FAKE já que as gravações existem?

11 – Mediapart DELETA blog do jornalista e cineasta JAWAD RHALIB.

12 – Imprensa brasileira diz que BOLSONARO espalha fake com base em postagem falsa.

13 – A coisa vai parar no JORNAL NACIONAL muito mal explicada.

Observatório da REDE

Compartilhe

Eles mandam nas redes. (#BolsonaroLiberaRinhadeGalo) Bolsonaro libera rinha de GALO! É verdade isso?

Nessa sexta-feira, 8 de março de 2019, dia internacional da mulher, o vencedor do trending topics do twitter não é uma HASHTAG relacionada a mulheres.

A vencedora, a tag que passou a maior parte do tempo no topo, foi #BolsonaroLiberaRinhadeGalo

A coisa pode até soar como bobeira, como mais uma tag brincalhona nas redes. Mas, pra quem observa as redes com atenção o evento chama a atenção. Grandes marcas e grandes artistas lutam todos os dias para chegar ao topo do TRENDS, coisa que o exército digital do Capitão consegue fazer facilmente, por brincadeira.

Isso mostra o gigantesco poder de mobilização e organização que apoiadores de JAIR BOLSONARO tem no que diz respeito à redes sociais. Coisa que a esquerda mesmo remunerando os chamados influencers, ou infuenciadores digitais, ainda não conseguiu

Até um “decreto” sobre as rinhas de galo circula nas redes

DECRETO Nº 9.729, DE 6 DE MARÇO DE 2019

Autoriza a competição chamada popularmente de rinha de galo em todo o território nacional.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, caput, inciso VI, alínea “a”, da Constituição,

DECRETA:

Art. 1º Fica autorizada a competição chamada rinhas de galo, realizada com galináceos do sexo masculino desde que comprovadamente sadios e com laudos médicos que atestem que a competição não colocará em risco suas vidas.

Art. 2º A competição deve sempre ser acompanhada por um veterinário e terá regras específicas.

I – Três “rounds” de no máximo 5 minutos; e

II – Juiz autorizado por federação específica.

Parágrafo único. O Secretário-Executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública será o responsável pela organização das federações de rinha de galo em todo o país.

Brasília, 7 de março de 2019; 198º da Independência e 131º da República.

A coisa não é verdadeira, BOLSONARO não assinou qualquer decreto liberando as brigas de galo, que podem levar os animais a ser severamente machucados e até a morte. A BRINCADEIRA é apenas uma chachota com a esquerda que tenta transformar JAIR BOLSONARO no vilão do século.

Seu filho, Eduardo Bolsonaro há algum tempo postou no twitter contra as rinhas de galo.

Compartilhe

Folha diz que BANHO DE MIJO é prática sexual – desculpe sermos tão diretos, mas é preciso

O nível a que chegamos é bem perto do fundo do poço. Mas, como dizem, para se limpar bem uma casa é necessário revirar tudo, varrer todos os cantos e desenterrar a sujeira dos lugares mais escondidos. Certamente é isso o que está sendo feito.

A Folha de São Paulo. Sim, a famosa folha de São Paulo entrou na briga para tentar provar que o BANHO DE MIJO, ou Golden Shower como chamam, é uma prática sexual normal. Na verdade até a noite dessa quarta-feira o discurso era “Bolsonaro postou vídeo imoral“. Os “progressistas” então perceberam que tropeçaram nas próprias palavras e atiraram nos próprios pés ao dizer que o que fazem todos os dias nas ruas é imoral. Agora – tentando se reerguer pelo menos um pouco – resolveram falar que no privado não é imoral, mas em público é.

De qualquer forma não deixa de ser bom para a sociedade,  é mais um recuo da esquerda causado pelo maremoto JAIR BOLSONARO.

“O BANHO DE MIJO deve ser consensual e entre 4 paredes”, segundo dizem os especialistas da FOLHA. Estranho também é o fato de existirem especialistas nesse assunto. Os especialistas são os mesmos que dizem que fazer sexo ao mesmo tempo em que se come fezes do parceiro também não é algo anti-higiênico desde que seja algo consensual?

A REVISTA ÉPOCA não quis admitir que a coisa toda foi uma safadeza e porcaria generalizada em via pública. A publicação batizou – como é costume da esquerda – de PERFOMANCE o ato libidinoso, informando que além do banho de mijo e enfiar dedo no cx, aconteceram maia porcarias ainda.

Observatório da REDE

Compartilhe

Popularidade de BOLSONARO cai, diz folha. Manipulação e mentira apenas

A FOLHA DE SÃO PAULO usa a velha técnica de manipulação que consiste em dizer que está acontecendo o que você quer que aconteça e não a verdade. O jornal ONLINE, que é ligado ao UOL, publicou nessa quarta feira de cinzas que após postagem de BOLSONARO no TWITTER denunciando o baixíssimo nível moral de nosso carnaval a militância pró-BOLSONARO-PSL estaria diminuindo assim como estariam diminuindo também os índices de popularidade do presidente.

Não será surpresa se nessa quinta aparecer um “especialista” com cara de professor dizendo que há debandada de admiradores que agora se voltam contra Bolsonaro e até pedem o seu impeachment.

Só pra começar não houve nenhuma pesquisa de opinião depois da postagem de BOLSONARO no twitter para aferir a sua popularidade. Aliás, o que percebeu-se nas redes sociais foi uma grande mobilização para subir a tag que já está em segundo lugar no trends nessa noite de quarta-feira.

Popularidade de Bolsonaro / Militância do PSL / Mentiras da imprensa.

Observatório da Rede – Observando, confirmando, discutindo e desmentindo

Compartilhe

Crime ou brincadeira. No carnaval pode tudo?

Foi encarada com bom humor a postagem nas redes sociais de uma mulher esfaqueando um homem fantasiado de JAIR BOLSONARO.

Em alguns comentários pessoas lembram que o atual presidente da república quase morreu e e que até hoje sofre as consequências do atentado contra sua vida. Outras pessoas perguntaram: E se fosse uma fantasia de Marielle Franco levando um tiro? A coisa seria encarada como brincadeira? Ou se fosse uma fantasia de Jean Willys levando uma surra de homens com camisas verde e amarelas, Também seria uma brincadeira?

E você, o que acha?

Compartilhe

“Piloto se nega a cumprimentar LULA” Tem certeza disso? Verificamos a informação

“Piloto se nega a cumprimentar LULA” Tem certeza disso?

Como sempre acontece, muitas pessoas replicam informações que surgem nas telas de seus celulares simplesmente por que elas soam como algo agradável a seus ouvidos. Hoje começou a circular na grande rede a informação de que o piloto do avião que levou LULA até São Paulo para o sepultamento de seu neto se negou a apertar a sua mão.

A informação é mentirosa. O piloto apertou sim a mão de LULA Não compartilhe mensagens sem verificar fontes e veracidade. Você não é mais uma criança e não pode usar a internet para fofocas e mentiras. Independente de quem seja o alvo você tem responsabilidade para com seus amigos e em preservar a sua própria credibilidade.

Você se diz uma pessoa honesta, que luta contra a corrupção. Portanto, não pode espalhar mentiras.

Inventaram até um texto que seria da autoria do PILOTO

“Questionado sobre o episódio o piloto respondeu: – Minha função é pilotar o avião com segurança, independente da “carga” transportada e da rota determinada pelo operador. Isso eu faço com seriedade e profissionalismo. Cumprimentar um presidiário condenado por corrupção, por quem eu tenho desprezo, não faz parte das minhas obrigações.  e, por minha livre decisão, decidi não fazê-lo. Não vejo motivo para polêmica: foi uma decisão pessoal e me responsabilizo pelas consequências que possam advir. Nada e nem ninguém tem o direito de interferir ou modificar minha decisão.”

Observatório da Rede

Compartilhe
1 2 3 13