Dilma hoje deu uma declaração importante. Bem ao seu estilo.

Dilma hoje deu uma declaração importante. Bem ao seu estilo.

Em primeiro lugar ela reclamou do boneco Lula 171. Segundo a mesma, construir "aquilo" foi um desserviço ao país.

Questionada sobre a crise a presidente respondeu:

"Uma previsão é a melhor estimativa possível. Nós faremos nossa previsão, mas com condições de contorno bem claros".

Como assim Dilma?

Uma previsão é a melhor estimativa? Será feita. Mas, ela terá condições de ser contornada! ? ! ?

Ela realmente se supera.

Os limites da nossa chefe maior são dobrados a cada declaração.

Observador

Não importa se a gestão é péssima ou desonesta, para o Advogado da União não se pode pedir impeachment por isso. Como assim? Acabem então com o TCU e com a Lei de Responsab. fiscal.

Não importa se a gestão é péssima ou desonesta, para o Advogado da União não se pode pedir impeachment por isso. Como assim? Acabem então com o TCU e com a Lei de Responsab. fiscal.

O Advogado-Geral da União, Luís Inácio Adams, afirmou que, independentemente de as contas do governo serem aprovadas pelo Tribunal de Contas da União, um pedido de Impeachment da presidente Dilma Rousseff não poderia ser baseado nisso. Adams esteve no final da tarde desta quarta-feira (22/07) no gabinete de Aroldo Cedraz, presidente do TCU, para lhe entregar a defesa do governo federal em relação à acusação de descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal referente ao ano de 2014.

Ora,  o advogado de Dilma, Ooops!, da UNIÃO, em outras palavras acaba de dizer que não há necessidade de Tribunal de Contas ou Lei de Responsabilidade Fiscal, já que a péssima gestão dos recursos obtidos por meio de impostos ou desonestidade na apresentação dos relatórios não são, na sua visão, motivos para punição do administrador público.

Observador

O BLEFE da esquerda grega. Nada de anormal “né”?

A "VITÓRIA" DO OXI, A DERROTA DE TSIPRAS E O ESTERIÓTIPO DO POLÍTICO DE ESQUERDA.

 

Apenas alguns dias após a vitória do "não" no referendo sobre as propostas da Troika em relação ao plano de austeridade grego, todo o mundo tem certeza de apenas uma coisa: Tsipras falhou feio, e não só falhou como conseguiu piorar absolutamente tudo em que se propôs trabalhar.

 

Neste curto período ficou claro que a jogada do primeiro-ministro era apenas um blefe. Aparentemente, o político acreditava que conseguiria intimidar a Troika (entidade formada pela Comissão Européia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) com a perspectiva de calote e saída da zona do euro.

 

O resultado não poderia ser outro: o acordo elaborado esta semana é ainda mais duro que o anterior e é o povo grego quem vai sentir na pele as consequencias da confiança em políticos que preferem a eloquência e o bom discurso à rigidez dos princípios econômicos.

 

Infelizmente, esta não será a última vez que a grande massa será seduzida por este discurso "libertador" que, repleto de falácias, produz apenas mais desigualdade, sofrimento e pobreza para o cidadão que, de boa fé, por ele é enganado.

PT! Portugal Telecom. Finalmente! Tráfico de Influência de Lula e Lava Jato.

111 ransferir-e1385566147815PT! Portugal Telecom. Finalmente! Tráfico de Influência de Lula e Lava Jato.

A Procuradoria da República de Portugal finalmente confirma nesta terça-feira que colabora com a força-tarefa da Operação Lava Jato. 

Lula e o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu teriam mantido conversas com o ex-primeiro-ministro português José Sócrates para destravar as negociações para a venda das ações da Portugal Telecom na Telefônica à Vivo.

"Há precisamente cinco anos, Sócrates e Lula falaram várias vezes ao telefone. As conversas ocorreram entre o junho e julho e se destinaram a encontrar uma solução para o impasse provocado pelo veto de Sócrates à venda, à Telefônica, das ações da PT na brasileira Vivo".

A imprensa portuguesa disse que: "No quadro da colaboração com as autoridades brasileiras, o Ministério Público quer apurar o envolvimento de ex-governantes, acionistas e gestores num negócio de 2010 que envolveu 7,5 mil milhões de euros"

A partir do momento em que governantes usam de sua influencia para facilitar ou atrapalhar negociações, estabelecem-se pactos escusos, que depois serão cobrados, principalmente, no caso do Brasil, na forma de “doações” de campanha.

De um lado partido, políticos e empresarios envolvidos nas negociatas saem ganhando. De outro sociedade e empresas honestas saem perdendo. 

Observador

TAXAÇÃO “enviesada” de grandes fortunas foi aprovada no MARANHÃO. Iniciativa pode ser adotada no resto do país.

LEI DE DINO (PCdoB): A ALTERNATIVA MARANHENSE AO IMPOSTO SOBRE GRANDES FORTUNAS 

Observador apurou que o governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino, do PCdoB, está para sancionar uma nova lei que instituirá a progressividade nas alíquotas do Imposto de Transmissão Causa Mortis  e Doação (ITCMD). 

O imposto, previsto na Constituição brasileira como de competência dos estados e do Distrito Federal, incide sobre as doações feitas em vida e também sobre a herança. A média brasileira, conforme levantamento publicado pela Ernest & Young, é de 3,86%. 

A regulamentação do ITCMD vem sendo cotada por "especialistas" como uma ótima alternativa à regulamentação do imposto sobre grandes fortunas. Na esfera federal, o governo vem estudando a possibilidade de regulamentar o imposto, contudo, como o mesmo é de competência dos estados e do Distrito Federal, há necessidade de isto ser feito via emenda à Constituição. 

A PEC 60/2015, nesse sentido, tem três eixos fundamentais: primeiro, visa a alterar o texto constitucional para que tanto as alíquotas máximas quando as alíquotas mínimas sejam fixadas pelo Senado Federal (atualmente somente as alíquotas máximas são fixadas pelo Senado Federal); segundo, positivar na Carta Magna a progressividade das alíquotas e; terceiro, instituir o compartilhamento dos valores arrecadados pelos Estados, com os Municípios. 

No Maranhão, após a aprovação da nova lei, passarão a vigorar as seguintes alíquotas: 

Doações: 1% para transmissões cujo valor seja igual ou inferior a R$ 100 mil; 1,5% para valores que variem entre R$ 100 mil e R$ 300 mil e;  máximo de 2% para doações cuja soma do valor venal seja superior a R$ 300 mil. 

Heranças: 3% para transmissão de bens com valor de até R$ 300 mil; 4% para bens entre R$ 300 mil e R$ 600 mil; 5% para bens com valor entre  600 mil e R$ 900 mil; 6% para heranças entre R$ 900 mil e R$ 1,2 milhão e; 7% para heranças superiores a R$ 1,2 milhão. 

Não é desnecessário dizer que o Estado é o pior administrador de recursos escassos que existe, motivo pelo qual uma "reforma fiscal" que se preze deve, obrigatoriamente, passar longe de clichês econômicos como o de que aumentar a carga tributária é benéfico para o país. Pelo contrário, o aumento dos impostos, necessariamente, induz ao desperdício de capital pelo governo, seja na forma de corrupção ou seja na forma de desperdício puro e simples.

Observador.

“Eu superestimei a competência dos gregos”. ESTRELA KEYNESIANA FAZ DURAS CRÍTICAS AO ACORDO CELEBRADO

 

O economista francês Paul Krugman, prêmio Nobel de economia, ao opinar sobre o aceite do governo grego às imposições dos credores europeus afirmou que provavelmente superestimou a competência do governo grego: "I may have overestimated the competence of the Greek government".

 

Mas o que Krugman quis, definitivamente, dizer com a afirmativa?

 

O economista é ferrenho defensor das teorias de Keynes, e como tal, acredita piamente na idéia de que só há genuína austeridade quando há aumento de impostos e manutenção – ou crescimento – dos gastos públicos. O acordo aceito pelo governo grego, dentre outras exigências, impõe que a Grécia deverá aumentar os impostos e reduzir os gastos públicos, algo inaceitável na visão do economista.

 

Sem tocar no mérito do que é realmente "austeridade", temos aqui uma questão cômica. A França, desde 2009 vem implementando o modelo de austeridade sugerido pelo economista e as consequências, é claro, são péssimas: o índice de desemprego subiu, o número de cargos públicos aumentou e o PIB per capita parou de crescer, por exemplo.

 

Krugman, no entanto, ao contrário do que mostram os números, insiste em dizer que a França está muito bem.

 

Observador

Acordo entre 80 nações reduzirá tarifas sobre produtos eletrônicos. Mas, Brasil não participa.

111 el4

  Oitenta países assinarão um acordo comercial que elimina significativas tarifas de importação sobre cerca de 200 produtos de tecnologia, usados em equipamentos eletrônicos.

Será a primeira grande negociação para supressão de tarifas na OMC (Organização Mundial do Comércio)

Os países que participam do acordo representam mais de 97% do comércio mundial do material em questão. Entre eles estão EUA e China. O diretor Geral da OMC é um brasileiro. Mas, não se animem. O Brasil está fora.

Empresários do país dizem que não há possibilidade de participar da empreitada, que eliminará cerca de 1 trilhão de dólares em tarifas.

O presidente da AEB (Associação de Comércio Exterior do Brasil), José Augusto de Castro, lamenta a ausência do Brasil nesse acordo, relacionado a um setor com alto potencial de crescimento nas transações.

"Ou nos integramos ao mundo ou o Brasil ficará cada vez mais à parte", diz.

O presidente da Associação Brasileira da Industria Elétrica e Eletrônica declarou que não ha interesse em participar.

"Nunca quisemos participar do ITA. Se isso acontecesse, praticamente não teríamos mais indústria eletroeletrônica no país", diz.

No Brasil os custos de produção são altíssimos. E isso, segundo os empresários, inviabiliza acordos desse tipo.

Isso mostra que as regras trabalhistas e tributáras no pais têm que passar por uma ampla revisão. Contudo, não ha qualquer sinal de que isso possa acontecer em curto prazo. Infelizmente.

Mais uma vez o Brasil na contramão.

Observador

A VENEZUELA DE VOLTA AO ESCAMBO.

 

O povo venezuelano, num país que vem apresentando índices inflacionários estimados em mais de 300%, como sabemos, sofre com a escassez de produtos básicos decorrente das intervenções estatais na economia.

 

Não bastassem as enormes filas à "la Romênia", os venezuelanos agora precisam recorrer à métodos alternativos quando precisam de algum produto.

 

É o chamado "trueque". Literalmente, escambo.

 

O método de trocas que os nosso predecessores indígenas mantinham com os colonizadores portugueses é a alternativa encontrada pelos venezuelanos para conseguir produtos como papel higiênico e fraldas. As pessoas vêm recorrendo à grupos no facebook, como o grupo fechado chamado “Trueques Anti-Bachaqueros – Barquisimeto”, onde os membros anunciam seus produtos para troca por outros de que necessitam mais.

 

Multiplicam-se também os perfis no twitter com o objetivo de auxiliar as pessoas a encontrar itens simples como leite em pó e absorventes:

 

@Mamiencontro buen día, si ven NAN HA +6, pañales talla G y vacuna de varicela en Caracas avisen por fa!

— Vane Jimenez (@vanedemijares) 17 de jul de 2015.

 

@Mamiencontro alguien sabe donde hay toallas sanitarias en cualquier parte de Caracas? Es urgente. Gracias.

— Emyi (@emyi529) 15 de jul de 2015.

 

@Mamiencontro porfavor donde puedo conseguir panãles para recien nacido en carabobo, valencia

— thani aristigueta (@thani_aristiguet) 14 de jul de 2015.

 

Observador / 

1 2