Moro retrocedeu por ordem de Bolsonaro

Moro retrocedeu por ordem de Bolsonaro

O ministro da educação retrocedeu 2 vezes na mesma semana. Sérgio Moro retrocedeu.

Em uma semana o governo retrocedeu várias vezes após criticas da oposição e de apoiadores. Isso é uma virtude ou um sinal de precipitação?

É já pacificado que quando se está em cargos de direção deve-se fazer ponderações exaustivas, imaginando as conseqüências das decisões a curto, médio e longo prazo. Imaginar as reações de opositores e apoiadores é tarefa de qualquer grupo político. Aliás, tem gente que recebe para fazer esse tipo de análise, ajudando lideranças a tomar decisões e evitar / controlar crises que poderão surgir.

A equipe de Bolsonaro deve ponderar junto sobre todas as decisões que vem sendo tomadas.

Essa coisa de nomear e “desnomear”, determinar e “desdeterminar” aos poucos vai retirando credibilidade e corroendo o governo, que já é atacado ininterruptamente pela imprensa progressista.

Poucos articulistas realmente sensatos acreditam que Moro tomaria uma decisão precipitadamente. Ninguém tem dúvida de que retrocedeu na nomeação de Szabó somente após determinação expressa de Jair Bolsonaro. Jair Bolsonaro realmente está se subordinando a seus eleitores naquilo que tem relação com a ideologia que defende, promessas de campanha etc.

Quanto a Sérgio Moro, ele tem muito a perder, apostou todas as suas fichas nesse emprego de Ministro da Justiça e posterior nomeação para ministro do Supremo Tribunal Federal. Não desafiaria Bolsonaro que com um sopro o atira no limbo. Imaginem só, odiado pela esquerda e defenestrado por Bolsonaro é possível prever que restaria uma complicada situação para o ex-magistrado.

Sérgio Moro nomeou a líder do Igarapé conscientemente, queria colocar no conselho o contraditório, uma voz que destoasse da posição da maioria. Ele sabe que em todas as instituições isso é sadio e tende a gerar mais equilíbrio. A soma de opiniões de um mesmo polo político sempre empurram para o extremo as decisões e ações tomadas.

Abaixo o Texto do Ministério da Justiça “desnomeando” Szabó

Moro sempre usa a palavra escusas no lugar de desculpas. O texto foi redigido por ele.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública nomeou Ilona Szabó, do Instituto Igarapé, como um dos vinte e seis componentes do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP), órgão consultivo do Ministério. A escolha foi motivada pelos relevantes conhecimentos da nomeada na área de segurança pública e igualmente pela notoriedade e qualidade dos serviços prestados pelo Instituto Igarapé. Diante da repercussão negativa em alguns  segmentos, optou-se por revogar a nomeação, o que foi previamente comunicado à nomeada e a quem o Ministério respeitosamente apresenta escusas.

—————————

Richter  d´Ornellas  – Observatório da Rede

Compartilhe