DESESPERADOS! Militantes de esquerda tentam DESCOBRIR o que foi apurado por AGENTE INFILTRADO

desesperados -20_0-13-47_No-00

No exército ele mantém um aspecto um tanto quanto nerd, cabelo repartido no lado e óculos de grau. Mas, nas missões o capitão PINA Botelho, ou BALTA, como se apresentou para a militância de esquerda, se comporta como a maior parte da juventude "progressista" que encabeça os protestos anti-TEMER. Para se infiltrar nesse meio não precisa muito, conta outro militar. "basta usar roupas de marca caras, mas um pouco surradas, óculos de grife e, sem exagerar, usar palavras como coxas e golpistas… "

Depois de divulgadas na imprensa algumas fotografias do MILITAR que supostamente se infiltrou em meio aos militantes de esquerda – não se sabe se realmente por determinação de algum orgão de inteligência ou por iniciativa própria – os movimentos de esquerda tentam desesperadamente, por meio de seu braço político, obter informações do comando do Exército sobre o que foi apurado e sobre onde são realizadas operações no momento.

O agente teria conversado com vários membros de movimentos sociais e inclusive saido em encontros romanticos com militantes de grupos que participaram de atos de vandalismo em São Paulo. Numa história digna de contos de Ian Fleming,(criador de 007), um jornal diz que o militar pretendia até marcar um menage com algumas militantes.

agente infiltrado pinaNuma mensagem enviada por aplicativo um fã do agente expressa sua admiração: "Cara, você é o mito, além de engabelar todo mundo ainda pegou umas mortadelas". (mortadelas é o termo usado para definir militantes de esquerda que protestam em troca de lanches ou recompensa financera".

O "Capitão" Pina Botelho se tornou o inimigo número 1 dos jovens esquerdistas, que agora se sentem enganados, traidos, ja que BOTELHO os engabelou completamente, os fez de idiotas.

Junto com seus companheiros sargentos e tenentes do setor onde realmente trabalha, se for esse o caso, o capitão deve estar nesse momento dando boas gargalhadas. Segundo os indignados militantes de esquerda, o militar chegou a dizer que podiam se infiltrar nas manifestações de direita: "A gente tá querendo [se] infiltrar na manifestação dos coxas", disse em uma mensagem para os "companheiros" de esquerda. 

Nas redes sociais ele explicou que "não é nada disso…" Disse que não foi preso com o grupo porque: "Falei pro PM que eu não tava com ninguém [do grupo]. Que estava ali porque ia sair com uma mulher casada".

espião exercito infiltrado

Imagem da Revista da Sociedade Militar

Segundo a Revista Sociedade Militar o PSOL teria envado requerimento para a DEFESA exigindo explicações sobre o que realmente ocorreu.

Observatório da REDE

MIlitares RECHAÇAM pedidos de INTERVENÇÃO

pedidos de intervenção militar rioNo desfile militar do RIO de JANEIRO e em Brasília destacaram-se a presença de várias faixas e cartazes pedindo intervenção militar. Em Brasília ouviu-se um coro de “a nossa bandeira jamais será vermelha”, a imprensa atribuiu isso à apoiadores de TEMER. Mas, intervencionistas alegam que foram os autores.

No desfile ocorrido em São Paulo a imprensa registrou pedidos de intervenção militar.

 

Está mais que óbvio que os militares já perceberam isso tudo, o comandante Villas Bôas já se manifestou algumas vezes sobre o assunto. Contudo, pelo que já ouvimos de vários militares, alguns estão realmente surpresos. Esperava-se, com o passar do tempo e com as próprias declarações de Villas Bôas rechaçando a ideia, que o grupo se reduzisse. Mas, o que ocorre parece ser o contrário, mesmo com a exoneração de DILMA os intervencionistas parecem estar crescendo em número e disposição.

pedidos de intervenção sociedade militar

PERCEPÇÃO

A Revista Sociedade Militar questionou um oficial superior que esteve presente no desfile de 7 de setembro no Rio de Janeiro sobre os pedidos de intervenção e a percepção dos militares.

O senhor ouviu algum pedido de intervenção militar? Isso foi notado pelo mais antigo presente?

Pessoalmente não ouvi, apenas vimos as faixas. É obvio que foi notado. Há muito tempo sabemos que há gente pedindo intervenção militar. Eles ficaram acampados em São Paulo e vez por outra aparecem em Brasília na troca da bandeira. O Comandante pessoalmente já foi assediado por eles. Mas, não há a mínima chance de obter êxito nessa reivindicação. Não poderia deixar de dizer que notável a persistência dessa gente. … no contexto atual, de normalidade democrática, o Exército tem é que contribuir para que o país seja cada vez mais estável e temos plena certeza que é isso que vai continuar sendo feito …  ”

Veja: Movimento anti-esquerda cresce no RIO de JANEIRO

Texto de Revista Sociedade Militar