“Artistas de peso irão pra rua”, diz Lobão. A política deve iniciar o ano em alta temperatura e em janeiro a mobilização tende a aumentar.

“Artistas de peso irão pra rua”, diz Lobão. A política deve iniciar o ano em alta temperatura e em janeiro a mobilização tende a aumentar.

Tudo indica que após o curto recesso de final de ano, a política brasileira deve iniciar o ano em ebulição. Dilma terá que anunciar seu novo ministério e um dos seus maiores temores é indicar nomes que venham a ser vinculados à questão petrolão, BNDS ou outras que certamente surgirão no desenrolar da vastidão de irregularidades apuradas pela polícia federal e ministério público federal.

A elevação da temperatura da política deve favorecer a concentração em torno das manifestações anti-pt, que parece que reiniciarão com volume total no início do ano. A convocação para a última manifestação contou com a participação de vários membros da classe artística. Entre eles estavam Paulo Ricardo, Lobão, Danilo Gentili e o apresentador Otávio Mesquita. Parece que a organização aos poucos percebe que a presença de formadores de opinião faz mesmo diferença. No dia 16 de dezembro Lobão contou que saiu bastante animado de uma reunião com Roberto Melo, presidente da Associação Brasileira de Musica e Arte. O cantor acha que a classe artística vai se deslocar em peso para engrossar o movimento anti-PT. “agora vamos levar os artistas… Artistas de peso irão pra rua, eu garanto isso…”, diz.

Membros do movimento, como Olavo de Carvalho, dizem que o governo está apavorado com o movimento, que já superou todas as expectativas. Se tivesse que acabar já teria acabado, dizem alguns. Agora não tem mais como não crescer, até que o PT seja extirpado do governo.

Olavo diz que a mobilização, encabeçada por Marcello Reis, Lobão e outros, é a primeira oposição realmente séria contra o PT. Que ocorre sem o financiamento de partidos empresários ou qualquer instituição poderosa.

estão condenados, seja através de uma intervenção popular, seja através de uma crise geral, seja pela falta de dinheiro, eles vão cair… tem que bani-los da vida pública para sempre.”

Marcello Reis diz que procuradores e políticos comantaram que precisam muito da mobilização popular para sustentar o movimento de oposição que fazem em Brasília, e que os manifestos são sempre sem violência e vandalismo. Reis também falou que o PT está com medo, e que cada membro do movimento é uma parte importante, cada contribuição é uma “semente plantada”.

Em HangOut recente, Marcello Reis, disse que já colhem assinaturas em um site hospedado fora do país para que, se necessário, recorram à cortes internacionais contra a corrupção generalizada que ocorre no país. Complementando a fala de Reis, Olavo de Carvalho disse que a maior prova da fraude é o fato de existir apuração secreta.

Na mesma reunião online Lobão se dirige aos militares e, diz que o fato de não pedir intervenção militar é uma forma de demonstrar respeito, porque acredita que quem deve realizar a mudança é o povo. Eles convida todo o povo brasileiro a sair para as ruas nesse ano de 2015.

Lobão reclama de que a imprensa não comenta nada sobre a total ausência de ilegalidade, violência e vandalismo nas manifestações da atual oposição.

Na folha ONLINE de hoje mais um artigo que comenta sobre a mobilização. Os articulistas do jornal dizem que há quatro grandes vertentes anti DILMA. Em linha contrária ao que diz o jornal, Marcello Reis diz que está aumentando a coesão entre os grupos.

Marcello avisa também que o grupo não pretende realizar manifestos em dias de semana, sobretudo para não atrapalhar o ir e vir dos cidadãos que precisam trabalhar e resolver seus problemas.

 Muitos dizem que se Aécio resolver aderir ao movimento, assumindo uma posição de liderança, a mobilização pode crescer mais rápido ainda. Há gente de dentro do PSDB que defende o envolvimento direto da sigla nos atos. Mas dentro do próprio movimento ainda não há consenso sobre isso.

Naturalmente a política deve dar uma reduzida na velocidade nessas duas próximas semanas, Mas, estaremos vigilantes por aqui.

Robson A.D.Silva — http://observatoriodarede.com.br

Midia esquerdista menciona cada vez mais os intervencionistas e membros da mobilização anti-pt. Armadilha?

Midia esquerdista menciona cada vez mais os intervencionistas e membros da mobilização anti-pt. Armadilha?

O que tem acontecido nesses últimos dias nos leva a crer que a mídia esquerdista está tentando dar visibilidade à oposição, principalmente àquela que tem ido para as ruas, e ousou entrar no Congresso. Já se passaram vários dias da última manifestação anti-Dilma e veículos como Estadão e 247 ainda falam incisivamente sobre o movimento que chamam de intervencionista. O que pretendem com isso? Ninguém daria “ibope” para movimentos de direita ou conservadores sem que haja um “bom” motivo por traz disso.

O ex presidente Lula, bem como toda a cúpula esquerdista da América Latina estão bastante preocupados com o levante da oposição. É notório que a sociedade não é mais a mesma de ha doze anos. O declínio do PT é evidente e pode-se esperar um contra ataque pesado em cima de todos aqueles que lutam para extirpar esse câncer que corroi o país.

Na semana passada o site 247 deu destaque ao título "Golpe Liderado por Lobão tem chance de Prosperar"" e ontem o Estadão entrevistou Marcello Reis, administrador da página Revoltados ONLINE.  O articulista fez questão de mencionar que Reis teria exigido que o encontro fosse realizado em um Restaurante de luxo. Reis, junto com Lobão, é um dos “cabeças” do movimento em oposição às falcatruas perpetradas pelo atual governo. Lobão e Marcello já informaram que não apóiam uma intervenção militar.

Reis que é cada vez mais atacado, principalmente nas redes sociais, diz: até o ano passado acreditei que a intervenção poderia ser uma possibilidade, mas primeiro temos que tentar todos os atos democráticos, para depois chegara a uma instância dessas.

Não há dúvida de que Marcello Reis é agora uma pedra no sapato do PT. Ha muito que não se via no congresso uma oposição tão corajosa como a que ocorreu na semana passada. Seria de se esperar que tentassem destruir sua reputação, iniciando a já costumeira campanha de calúnia e infâmia, usada contra Aécio Neves e todos os outros que já ousaram entrentar o ParTidão.

Há algumas semanas recebemos denúncia de que M. Reis seria réu condenado por tráfico de drogas, recorrendo em liberdade. E que por isso agora assinava Marcello, com dois “L”. Os dados do processo seriam:  007838-61.2012.8.26.0361 – Procedimento Ordinário – Tráfico de Drogas e Condutas Afins – Réu: Marcelo Cristiano dos Reis. Outro colaborador nos informou que a denúncia está publicada na página F. Online, no facebook.  Veja ao lado.

Ficamos preocupados, principalmente por que a esquerda, caso a informação fosse verídica, teria uma grande arma em mãos, que certamente abalaria o movimento, que está em franco crescimento. Mas, obviamente, não publicaríamos algo tão grave sem atestar a veracidade da informação. Questionamos o próprio Marcello Reis sobre o fato, mas ainda não obtivemos resposta. Contudo, um amigo de São Paulo conseguiu obter mais algumas informações importantes, que atestaram o que já desconfiávamos. Se trata de uma falsa acusação, o réu em questão é outra pessoa, nascida em 18/12/1993, que tem apenas 21 anos. Portanto, é obvio que não poderia ser Marcello Reis do Revoltados Online. Veja Abaixo.

A Comunidade Revoltados ONLINE cresceu tendo como um dos seus pilares a proposta intervencionista. Parece que acreditavam que poderia-se de alguma forma convencer os militares das Forças Armadas a assumir o controle do país. A idéia era algo como fechar o Congresso, prender todos os políticos corruptos e depois de algum tempo retornar o país à normalidade democrática. No momento a comunidade online parece chegar a um consenso, de que deve-se tentar todas as vias democráticas possíveis. Observamos que aos poucos as solicitações de intervenção diminuem no grupo Revoltados Online e em outros vários "congêneres". É evidente que a comunidade já entendeu que estratégia agora é colocar o povo nas ruas para alcançar os objetivos propostos.

As demandas são investigação nas urnas eletrônicas, Impeachment e apuração rigorosa do caso Petrobrás e derivações do mesmo.

As comunidades citadas acima congregam um número enorme, são mais de 500 mil pessoas terrivelmente decepcionadas com a atual situação, a ponto de cogitarem em algum momento a possibilidade de ação dos militares. Urnas não auditáveis, corrupção generalizada, desarmamento da sociedade honesta, aliança com líderes radicais como Maduro e Fidel e afinidade com movimentos paramilitares como o MST, dão a muita gente a idéia de que o PT só deixa o governo por meio de uma ação radical. Para se ter uma ideia de a que ponto as coisas estão chegando, vejam esse texto de Jair Bolsonaro, de terça-feira (16/12). Nele o Deputado deixa bem claro que acredita que o PT só sai do Planalto na base da força bruta.

"… o “cancro vermelho” não será erradicado com bonitos e elucidativos textos ou com eleições informatizadas. O PT já foi longe demais para entregar para a oposição de forma pacífica o poder. Mais cedo ou mais tarde, a contragosto de muitos e torcendo eu para estar errado, algumas doloridas doses de Benzetacil podem ser aplicadas para salvar nossa democracia. Ou alguém aponte outro motivo pelo qual nossas Forças Armadas são caluniadas nos últimos 20 anos?"

Se um número tão grande de pessoas pede esse "reset", aplicado pelos militares, é sinal que para eles a democracia fracassou mesmo no Brasil. 

Já dissemos aqui: Em uma democracia ninguém pode ser desprezado. A direita tem como característica valorizar a liberdade de expressão e o individualismo. Apologia à uniformidade é coisa de esquerdista. Se a liderança que agora surge for realmente perspicaz, digna de permanecer a frente de tão grande grupo, saberá valorizar cada opinião como parte importante do movimento. É importante entender a "voz das ruas" . O que o resumo das demandas nos apresenta, qual é a frase que resumiria tudo? 

Para nós a frase seria algo como: "De alguma forma tirem o PT do governo, esse partido está destruindo o Brasil de todas as maneiras possíveis".

Direitistas como Reinaldo Azevedo e Felipe Moura Brasil dizem que são poucos os que pedem intervenção, dão a entender que os intervencionistas indiretamente são aliados do PT e que o discurso em apologia à revolta armada acaba fazendo o partidão parecer democrático. E Isso faz sentido. A esquerda já faz o contrário, parece querer se aproveitar do momento, e tentam jogar mais lenha na fogueira, que já está em chamas. Falam em Golpe e até em participação de Militares na tal empreitada golpista. Talvez pretendam, com essa estratégia, apressar a consecução dos planos esquerdolóides para o Brasil. Pintando de monstro a cara da oposição pode-se sim aumentar a avidez da malta de idiotas úteis, assalariados ou não, em destruí-la. O recado enviado pela mídia engajada, para a militância é, estamos em uma guerra e os adversários estão se mobilizando para dar o "golpe", precisamos agir rápido.

Uma rápida radicalização dos movimentos de esquerda que apóiam o Partido dos Trabalhadores seria uma eficaz alavanca para gerar o caos, dando a desculpa que a intelligentsia esquerdoloide deseja para aumentar o controle sobre a mídia e sociedade.

Robson A.D. Silva. Cientista Social. http://sociedademilitar.com.br 

Email: socmilitar@gmail.com

Eles pedem intervenção militar. Eles são chamados de CRETINOS, fascistas, Golpistas e outros nomes feios. Será que a maioria dos chamados intervencionistas faz jus a esses predicados?

Eles pedem intervenção militar. Eles são chamados de CRETINOS, fascistas, Golpistas e outros nomes feios. Será que a maioria dos chamados intervencionistas faz jus a esses predicados?

Lobão os chama de cretinos de extrema direita. Reinaldo Azevedo, da Veja, diz que são aliados do PT e estúpidos. Felipe Moura, também da Veja, diz que são sabotadores infiltrados. A esquerda não é tão mansa, chamam os intervencionistas de fascistas, nazistas, loucos e coisas piores.

Normalmente as acusações de direitistas se devem ao estrago que acreditam que os intervencionistas têm feito contra o movimento popular de oposição. JÁ as acusações que partem de esquerdistas, ainda que quase sempre deturpadas, frequentemente se baseiam em alguma deixa de direitistas. 

intervenção militar

Exemplo. O senhor X, que é político atuante, presidente de um diretório de partido, tem páginas no facebook com nomes sugestivos, como Grupo de Operações Anti Comunismo, onde pede doações para alugar carros de som e transportar representantes das Forças Armadas (As F.Armadas se fizeram representar na Paulista?). "X" é um dos líderes do partido, por isso seria de se supor que acredita que pode-se mudar o país por meio da democracia. Mas não é esse o caso, "X" na verdade não acredita no processo democrático. 

X usa as redes sociais e seu status para espalhar várias postagens instigando o uso da violência. O Ele usa frases como: “Morte aos comunistas, morte a Jean Willians" (Foi pra disfarçar que escreveu errado o nome do deputado?) e "intervenção já, liberdade ou morte”.  Em vídeo publicado no youtube, X diz que tem informantes dentro das Forças Armadas, coronéis, segundo ele, que lhe dão a entender que os militares simpatizam com os pedidos de intervenção e só aguardam o dia D. X também diz que devemos declarar guerra contra países vizinhos e inclusive tomar seu território (figura abaixo). Quando se dirige a esquerdistas ou a qualquer um que discorde de sua compulsão por derrubar a esquerda por meio das armas, X é rigoroso, e usa e abusa de termos chulos.

X é um dos que justificam a acusações de radicalismo e extrema direita dirigidas aos intervencionistas. É um dos que fizeram Lobão e outras pessoas abandonarem manifestações. X na verdade é uma espécie de Black Bloc da direita. Alguns acreditam que foram os Black Blocs que esvaziaram as minifestações, pois pessoas honestas e pacatas relutam em ir às ruas depois de tanto vandalismo. Pois é, com gente dessa estirpe em seus quadros, a direita não precisa de inimigos.

Veja abaixo algumas das "ações" de X e seu grupo de Operações Especiais Anti Comunismo.

morte aos comunistas, ódio

Os grupos nas redes sociais que congregam os intervencionistam com toda certeza aglomeram mais de 600 mil pessoas. Portanto, não se trata de um contingente insignificante. A página do Exército no Facebook coleciona inúmeros pedidos de intervenção. Veja abaixo comentários de hoje (07/12/2014) solicitando aos generais que coloquem "a mão no gatilho" e coisas do tipo.  

A maioria dessas pessoas acredita que os militares podem intervir no país e retirar políticos corruptos de seus cargos, não matando-os da maneira que é sugerida pelo senhor "X", mas julgando-os de forma legal. Muitos dos intervencionistas citam os anos 70 como os melhores anos de suas vidas. Pra eles foi um período de paz, crescimento etc. Mas, é preciso observar que já se passaram mais de 50 anos, a esquerda não está preparando uma revolução armada, como ocorreu no passado. Os grupos que estão no poder ocuparam as instituições de forma democrática. Ardilosamente ou não, eles chegaram onde estão por meio do voto.

Supõe-se então que a reação da oposição tem de ser também democrática, sob pena de ser invalidada rapidamente.

O filósofo e escritor Olavo de Carvalho acredita que pode ocorrer intervenção militar, mas não nas condições atuais.  O escritor, que reside nos EUA diz que as manifestações a favor de intervenção no momento só atrapalham. Olavo parece acreditar que os militares brasileiros vão se manifestar sobre os acordos fechados na última reunião da UNASUL.

SnapCrab_NoName_2014-12-8_19-25-18_No-00

SnapCrab_NoName_2014-12-8_19-43-40_No-00

Querem mudar as coisas? Invistam seu tempo e dinheiro nisso. Quem é capaz de fazer doações para a criação de instituições e partidos de direita? No Brasil poucos tem coragem de meter a mão no bolso para alavancar suas aspirações de um futuro melhor. Façam outdoors esclarecendo a população, paguem comerciais de TV denunciando táticas grancistas, comprem livros sérios e distribuam para amigos etc. E lembrem-se, uma mudança do jeito que se pretende não acontece instantaneamente, é um processo lento e penoso.

As alegações de intervencionistas supostamente se baseiam na CF1988. Mas, não é e nunca será, função constitucional das Forças Armadas virar a mesa, quebrar a ordem democrática. É justamente o contrário. Dizer que isso foi feito na Tailândia e que, portanto, caberia ainda agir de forma similar aqui, em pleno séc. XXI. É um grande equívoco. Na Tailândia a Primeira Ministra foi julgada e condenada, sem a intromissão dos militares (imagem ao lado). Os militares interviram,  apesar dos pedidos da população, bem depois. Apenas para garantir a normalidade no país. (Veja aqui)

No Brasil, nem a chamada "reserva raivosa" defende a intervenção militar. A insatisfação manifestada pelos generais e coroneis e pijama é contra o desgaste contra as FA, causado pela comissão da verdade e por mentiras já consagradas como verdade,  que dizem que a esquerda lutava pela democracia nos anos 60 e 70.

Não seria irresponsabilidade tentar atirar o país em uma guerra civil?  (Veja o texto Consequencias de uma intervenção Militar)

Aécio convocou a população, mas não apareceu por lá. Sim, é verdade. Mas já era de se esperar. Qualquer um que tem acompanhado esse movimento podia prever que na manifestação desse sábado haveria confusão. Lobão resolveu ir, mesmo meio desconfiado. Parece que se arrependeu bastante.

Deve-se a todo custo buscar uma oposição racional, sem extremismos de qualquer tipo. Há sim amparo legal para um processo de impeachment, e se for constatado que Dilma ou qualquer outro político ainda em exercício de mandato, participou de esquemas de corrupção, a população pode pleitear sim sua deposição. Instituições como polícias e Forças Armadas estão presentes para dissuadir qualquer um que cogite descumprir a lei. O Brasil não chegou, e esperamos que não chegue, a um estado em que há necessidade de quebrar a ordem democrática, grande prova disso é a liberdade para estar nas ruas se manifestando e pedindo qualquer coisa que se deseje.

Como já dissemos aqui. Qualquer um tem o direito de pedir o que quiser. Ainda vivemos em um país livre. Podemos dizer que repudiamos o PT pedindo um anjo justiceiro com espada de fogo, marcianos, Enry Christi e o que mais nossa imaginação inventar. Todos entenderão que, mesmo divagando entre o possível e o impossível, estamos insatisfeitos com o governo atual. Mas, nunca podemos instigar a violência, atrapalhar manifestações alheias com nossos megafones e carros de som, ou usar de qualquer outro subterfúgio para atrasar um processo democrático que está em franco crescimento.

Um aviso. A história recente mostra que a sociedade que vai para as ruas não depende de carros de som e de organizadores para alcançar seus objetivos. A presença de vários caminhões de som e até megafones, não mostra organização ou coesão. Ao contrário, mostra que pode haver várias pessoas tentando manipular a sociedade em prol de seus próprios objetivos.

Esperamos que a confusão que aconteceu ontem seja a última lição, e que os diversos grupos que saíram da rede para as ruas entrem em um acordo de uma vez por todas.

Robson A.D. Silva – Cientista Social.

Quem será o ingênuo que acreditará nisso? Que bonitinho! PT pede que doações sejam investigadas na LAVA JATO. AH ta.

 

Quem será o ingênuo que acreditará nisso? Que bonitinho! PT pede que doações sejam investigadas na LAVA JATO. AH ta.

 

 

 

O PT agora quer dar uma de santinho e, pra livrar sua cara diante do público e do cada vez maior número de petistas decepcionados com o partido, pede à Polícia Federal que faça o que já ia fazer.

Jornais dessa sexta vão publicar: “Citado como beneficiário do esquema de desvio de recursos    da Petrobras, o PT estuda ingressar com uma representação no Ministério Público Federal (MPF) do Paraná ou na Procuradoria-Geral da República (PGR) pedindo um “processo de investigação ampla” sobre doações de campanha das empresas investigadas na Operação Lava Jato.” 

 

 

A vanguarda do sec. XXI. O que AMEDRONTA os artistas. A Lei ROUANET? O que Lobão e Paulo Ricardo possuem de diferente?

 

33333333333van1111111111ed

A vanguarda do séc. XXI. O que AMEDRONTA os artistas. A Lei ROUANET? O que Lobão e Paulo Ricardo possuem de diferente?

Em comparação com a quantidade de brasileiros que se posicionou contra o estrago que a esquerda tem feito no país, são ainda poucos os membros da classe artística e intelectual que participam de atos públicos ou pelo menos se manifestam de alguma forma a favor dos movimentos de oposição, que estão em franco crescimento e pedem apuração rigorosa da corrupção generalizada que assola o país. Os oposicionistas, não há dúvida, são ágeis e têm conseguido forçar um posicionamento mais consistente da bancada de oposição no Congresso Nacional.

Ainda em 2013, em Paraty, o cantor Lobão criticou os rumos que as manifestações tomavam. Segundo o cantor, “não havia foco” nos movimentos. Na mesma entrevista Lobão chegou a dizer que o fato de poucos artistas militarem politicamente em favor da esquerda se deve ao medo de perder dinheiro, já que o principal financiador de eventos culturais no Brasil é o governo federal. Lobão lançava seu livro "Manifesto do nada na terra do nunca". O artista, que carregava o estigma de revoltado, sem medo de ir contra a linha seguida pela maioria dos membros da classe artística, surpreendeu todos ao mostrar uma face bastante racional, madura e filosoficamente embasada.

Não será de admirar se os shows de Lobão começarem a lotar estádios. O público de hoje gosta sim de estar junto de bons músicos, mas acima de tudo tem de ser gente que “fala a sua língua”, que não abdica de sua responsabilidade na construção de um futuro melhor. Gente que se posiciona politicamente quer prestigiar gente que constrói, não são meros expectadores, levados como o vento, cegos guiados por outros cegos.

A falácia esquerdista do politicamente correto só ludibria quem gosta de ser enganado, é uma espécie de ermitão, privado de receber informações sobre o quotidiano, ou é tão fraco como ser humano que, mesmo já tendo recebido todas as evidencias possíveis de que há algo terrivelmente errado acontecendo no governo atual, principalmente nesses últimos meses, quando foi revelado que o maior escândalo de corrupção de toda a história do mundo moderno ocorreu dentro do governo atual, prefere não se manifestar politicamente por medo de não ser aceito pela galera da rodinha de cerveja, que passa seu tempo fazendo piadinhas e rindo da desgraça alheia, ou “vivendo” uma existência lúdica, nula, pensando unicamente em como ser aceito no grupo social mais popular, seja este a galerinha da faculdade, ou do boteco da esquina.

Obviamente estar numa roda de amigos não é algo nocivo. Mas, se tornar um zero intelectual para que isso possa acontecer, é algo a que ninguém deve se submeter.

Não precisaria explicar que foi exactamente assim que ocorreu na Alemanha Nazista, (Nazismo significa socialismo nacionalista) onde o medo de ir contra uma minoria espalhafatosa e com ar de quem sabia o que fazia resultou no assassinato institucionalizado de milhões de pessoas inocentes.

O fato de o governo da Alemanha permitir que as industrias permanecessem nas mãos de particulares é usado como alegação de que a Alemanha não foi socialista. Mas todos sabemos que de fato era o estado o gestor das empresas. O governo nazista decidia o que produzir, quando produzir e até os preços dos produtos.

A propaganda implementada pelos nazistas também tem extrema semelhança com a tática usada atualmente pela esquerda brasileira. Goebbels tinha como máxima a frase: Reúna todos seus adversários em uma só categoria, em uma soma individualizada. Aqui a esquerda faz exactamente isso, todos que não são de esquerda estão em um mesmo time, são anti-humanistas, malvados, reacionários. Se for uma pessoa ativa, apenas um milímetro acima da média em relação à ação política, entrará no rol dos golpistas, exatamente o que agora acontece com Lobão, Olavo de Carvalho, revista VEJA e com qualquer pessoa, site ou editora que ousa denunciar a fábula marxista-bolivariana vivida pela esquerda brasileira. 

O cantor e escritor Lobão agora é visto pela esquerda como um líder golpista.

    Ora senhores, sabemos muito bem que não é o eleitor típico da esquerda que consome cultura de qualidade, seja na forma de livros, exposições de arte e até shows humorísticos. Vide a vertiginosa queda de Rafinha Bastos e CQC.

   O CQC, por exemplo, trabalha para uma emissora privada, que depende de publicidade para sobreviver. Na medida em que o público alvo, aquele que realmente compra, deixa de assistir o programa, os anunciantes migram para onde "estão" os consumidores. Na mesma velocidade que a sociedade assume uma postura militante esse processo deve acontecer com artistas que defendem com unhas e dentes o bolivarianismo / cubanização do Brasil, mas não abrem mão de ter seus apartamentos ou passar férias em Paris ou Nova Iorque.

Ontem recebemos uma ótima notícia. O cantor Paulo Ricardo, do RPM, resolveu se engajar na mobilização para que a população vá para as ruas pedir que sejam apurados de maneira rápida e rigorosa a corrupção que ocorreu dentro da Petrobrás.

Não ha dúvida alguma de que a esquerda brasileira está em decadência, ja vimos aqui diversas provas disso. Aquelas pessoas, artistas ou não, que primeiro se engajam na luta contra o exército de corruptos e corruptores que saqueia nosso país já podem ser consderados como a nova vanguarda brasileira, ou a vanguarda do sec. XXI. São aqueles que estão no pelotão de frente dessa batalha, não tem medo de ser considerados politicamente incorretos, buscam sem medo o melhor para o futuro de seu país, de seus filhos, de seus netos, e têm conseguido rsultados significativos.

A batalha de ontem no Congresso, embora perdida, é uam amostra do poder que esse grupo, em franco crescimento, já possui. Vanguarda vem do frances avant-garde, que significa exctamente a guarda avançada ou parte frontal de um exército.

Robson A.D. Silva – Sociólogo, Professor.

Artigo originalmente publicado no site da Revista Sociedade Militar.

 

Paulo Ricardo do RPM. Mais um artista entra na LUTA contra o CAOS que se instalou no país.

paulo ricardo rpmMais um artista entra na LUTA contra o CAOS que se instalou no país. Paulo Ricardo, do RPM se alista no exército anti-corrupção.

O cantor Paulo Ricardo, assim como LOBÃO, reconhece que o governo atual está afundando o país. Sabendo da força que a classe artistica tem junto da sociedade, ele tenta ajudar a mobilização para que a população se manifeste em favor de uma apuração rápida e rigorosa dos escândalos de corrupção, que podem ter até alavancado campanhas eleitorais de políticos do PT e de outros partidos da Base aliada.

Se a classe artística começar a se engajar certamente a mobilização será mais rápida e perceptível. No próximo dia 6 de dezembro haverá manifestações em São Paulo e Rio de Janeiro.

No RIO os eventos são encabeçados por grandes grupos da rede, como Opesadelodequalquerpolítico. Em São Paulo também ha vários grupos que prometem lotar a paulista.

Assista o vídeo de apenas 40 segundos em que o artista convoca a sociedade.


Paulo Ricardo Vem pra RUA por sociedademilitar

http://sociedademilitar.com.br