Democracia está por um triz, Ministra pede PAZ. PT volta a comandar o país se Tribunal Superior ELEITORAL caçar a chapa DILMA E TEMER.

Democracia está por um triz, Ministra pede PAZ.  PT volta a comandar o país se Tribunal Superior ELEITORAL caçar a chapa DILMA E TEMER.

A imprensa evita falar no assunto. Mas, a verdade é que estamos cada vez mais próximos de uma crise institucional. Ainda nessa terça-feira, como se soubesse da decisão a ser proferida POR Marco Aurélio MELLO, a Ministra CARMEM Lúcia tentou apaziguar os ânimos. A Ministra deixou escapar que se as coisas derem errado, que se tudo fracassar o judiciário tem que pacificar porque caso contrário, só nos resta a GUERRA.

Renan CALHEIROS tem que sair, mas o SENADO reluta em cumpir a decisão do SUPREMO. Resta saber se MARCO AURÉLIO MELLO determinará a sua retirada a força e prisão, afinal, descumprir decisão judicial é CRIME.

Renan deixa como sucessor um senador do Partido dos Trabalhadores. O julgamento do processo contra a CHAPA de TEMER e DILMA está para ser julgado e se o resultado for a cassação da chapa quem assumirá o país é um senador do PARTIDO DOS TRABALHADORES, e que ninguém se engane, o senador JORGE VIANA não é tão mansinho, tão racional quanto a imprensa tenta fazer parecer.

Ha poucos dias TEMER disse que se a decisão do TSE fosse a cassação da chapa ele sairia com tranquilidade.

Suas palavras: "Se decorridos todos os recursos processuais que serão cabíveis nesse caso e o judiciário decidir que a chapa deva ser cassada, você sabe mais do que ninguém que eu prego a reconstitucionalização do país. Eu jamais me insurgiria contra uma decisão definitiva do poder judiciário"

O SENADOR Jorge Viana

Jorge VIANA em áudio amplamente divulgado nas REDES aconselhou LULA e desafiar SERGIO MORO e jogar a sociedade contra o JUDICIÁRIO.

Parte de sua fala: “O presidente LULA precisa transformar esse confronto numa ação política. Eles tão se rebelando, só dizendo que não aceita mais o MORO, que agora se ele mandar um ofício ele não vai, e dizer que ele tá agindo fora da lei, chamar de bandido. E diga: venha me prender, agora eu que estou desafiando, venha me prender. Mas não venha prender minha mulher, nem meus netos, nem meus.. a mim, eu to aqui nesse endereço esperando. Os seus policiais. Aí o povo vai pra rua, aí a gente faz um confronto institucional pela política… 

Ouça o áudio completo publicado na Revista Militar

OBSERVATÓRIO DA REDE

Robson